Blog

As particularidades da manutenção da tubulação de gás

As particularidades da manutenção da tubulação de gás

As estruturas de gás em apartamentos, empresas ou condomínios merecem especial atenção, seja no dia a dia do uso das edificações ou na hora da manutenção predial. Dúvidas sobre como proceder para manter tudo em ordem, como realizar reparos em caso de vazamentos ou mesmo a respeito da responsabilização pela manutenção da tubulação são comuns. Mas calma! Aqui sanamos algumas delas! Você sabe quem deve fazer a manutenção da tubulação de gás? Está no Código Civil, artigos 1331 § 2º e 1348: "o solo, a estrutura do prédio, o telhado, a rede geral de distribuição de água, esgoto, gás e eletricidade, a calefação e refrigeração centrais e as demais partes comuns, inclusive o acesso ao logradouro público, são utilizados em comum pelos condôminos, não podendo ser alienados separadamente ou divididos". Mas é o condomínio que é o responsável pela manutenção do sistema de gás, bem como de suas demais estruturas. Assim, todos os gastos gerados deverão ser arcados por todos os condôminos - a instalação do gás em condomínios é composta por diferentes canos individualizados, que abastecem cada unidade do prédio, mas se trata de um serviço que atende o bem comum e apresenta potencial risco para todos os condôminos. Por isso, o condomínio é o responsável pela instalação e manutenção dos canos de gás e todos os gastos gerados com tal deverão ser arcados por todos os condôminos conforme os termos acordados e previstos em convenção. Suspeita de vazamento? Veja como proceder O teste de estanqueidade (verificação para saber se algo está estanque, hermético, sem vazamento) identifica o local exato do vazamento. Vale lembrar que esse é um teste obrigatório, a ser realizado a cada 5 anos, justamente para prevenir qualquer problema. Uma empresa especializada [https://torquatofreire.com.br/] realiza o teste de forma adequada, garantindo que o vazamento será detectado e tratado para que nada de grave ocorra. Atitudes diárias para evitar maiores problemas

  • Providenciar a checagem da estrutura de gás periodicamente;
  • Observar a ventilação dos ambientes em que as estruturas de gás estão instaladas;
  • Quando houver alguma suspeita, chamar empresa especializada;
  • Providenciar imediatamente reparos quando os problemas forem identificados;
  • Manter produtos inflamáveis, mesmo os mais simples materiais de limpeza, longe das estruturas de gás;
  • O ideal é não ter instalações elétricas próximas às instalações de gás, mas se houver, devem ser mantidas sempre protegidas;
  • Promover inspeção geral anual nos medidores;
  • Certificar o fácil acesso aos equipamentos a gás que tenham válvula;
  • Se houver uma central com ramais, inspecioná-los a cada três anos;
  • Sempre que houver reparos, emitir laudo e recolher a Anotação de Responsabilidade Técnica (ART); O condomínio está com suas instalações de gás em dia, mas resolveu fazer uma reforma geral? O melhor é manter essa estrutura intacta e orientar o encanador, pedreiro ou empresa que irá executar a obra a respeito da existência da estrutura de tubulação de gás, para mantê-la funcionando a contento. Decisões práticas e simples do dia a dia vão possibilitar que todos no condomínio sigam frequentando o ambiente com tranquilidade e em segurança.